Newsletter Indique
ÁREA DO CLIENTE

Login:

Senha:

Esqueci a senha
Novo área do cliente

Lei que traz benefícios aos motoboys está parada há três meses


Sindicato da categoria ficou na expectativa de que o adicional de periculosidade fosse pago, mas ele ainda não saiu do papel.

Três meses atrás, os brasileiros que usam a motocicleta como instrumento de trabalho comemoraram o anúncio de uma conquista importante, garantida por lei. Mas ela ainda não saiu do papel. A frustração é grande.

“A gente espera contar com esse dinheiro e não pode. Eles falam que chega tal dia e não chega, não chega, não chega... Complica, né?”, diz o motoboy Altieres Queiroz.

O Sindicato dos Motociclistas tenta apressar uma solução. “Nós estamos cobrando do ministério diariamente essa situação porque é morosa só que é necessária”, afirma Luiz Carlos Galvão, presidente do Sindmoto - DF.

O próprio sindicato da categoria ficou na expectativa de que o adicional de periculosidade fosse pago já em julho. A confusão se deu, em parte, por um mal-entendido no dia em que o governo transformou em lei o projeto aprovado por deputados e senadores.

A sanção da lei reuniu motoboys, em uma cerimônia, no Palácio do Planalto, em junho. Mas eles não sabiam que enquanto essa lei não fosse regulamentada, os patrões não seriam obrigados a pagar o adicional de 30% sobre o salário. O Ministério do Trabalho afirma que a demora ocorre porque a lei exige consulta pública, seguida de uma negociação com empresas e trabalhadores.

“O Ministério do Trabalho e Emprego está empenhado em concluir essa regulamentação o mais rápido possível pra que seja iniciado o pagamento desse adicional pros trabalhadores que conquistaram esses direitos por meio de lei”, explica o diretor do departamento de segurança e saúde no trabalho Rinaldo Costa Lima.

Dois milhões de brasileiros trabalham como motociclistas, segundo o sindicato da categoria em São Paulo. Os seguros pagos por acidentes com motos subiram mais de 400% nos últimos cinco anos. Os motoboys esperam que o adicional venha no salário de outubro.

“O salário do motoqueiro devia ser um pouquinho maior. A gente corre um risco muito grande”, defende o motoboy André Luiz Cordeiro da Silva.

Fonte: Jornal Nacional

« Voltar

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ALERTA: FISCO IRÁ CRUZAR INFORMAÇÕES DE BANCOS COM O IMPOSTO DE R...

NOVAS REGRAS PARA APOSENTADORIA SÃO SANCIONADAS...

Prazo para pagamento do documento de arrecadação do eSocial será ...

RETENÇÃO DE INSS NO MEI...

NOVA REGRA DE APOSENTADORIA DARÁ FÔLEGO DE R$ 5 BI A INSS...

SIMPLES DOMÉSTICO: o que muda...

EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL TERÃO QUE TER CERTIFICADO DIGITAL...

Atenção: quinto lote de restituição do IRPF de 2015...

ATENÇÃO: GOLPES DA JUNTA COMERCIAL E LISTA TELEFONICA...

ESOCIAL CONFIRMA FISCALIZAÇÃO TRABALHISTA TOTAL EM 2016...